Fonoaudiologia

Atuações

No desenvolvimento da linguagem e na identificação de problemas, que podem se manifestar de formas variadas, como atraso na emissão das primeiras palavras e na formação das frases; trocas, omissões ou acréscimos de sons na fala, além de gagueira. A terapia fonoaudiológica ajuda a superar ou amenizar as alterações através da estimulação adequada a cada caso.

 

Motricidade Oral

É uma área da fonoaudiologia que trabalha a musculatura da face, da boca e da língua, com o objetivo de corrigir problemas relacionados a sucção, mastigação, deglutição, respiração e fala.

 

A voz

É o espelho da alma, diz da sua identidade tanto quanto a sua impressão digital. O fonoaudiólogo atua não só na prevensão dos distúrbios de voz como também no seu tratamento. Ele também é responsável pelo aperfeiçoamento da voz. Em casos mais graves, como o de câncer de laringe, paralisia de cordas vocais e outros distúrbios neurológicos que afetam a voz, o fonoaudiólogo atua no restabelecimento da comunicação.

 

É o profissional da área da saúde, responsável em prevenir, avaliar e tratar qualquer distúrbio ou alteração de:

- linguagem oral (fala): atraso de aquisição, trocas, omissões e distorções, além de presença de gagueira.

- voz: rouquidão e soprosidade, sem ou com presença de nódulo, pólipo, fenda ou edema de pregas vocais.

- motricidade orofacial (lábio, língua e bochechas) com alterações relacionados à sucção, mastigação, deglutição, respiração e fala.

- audição: perda auditiva, labirintopatia, alteração de processamento auditivo central PAC.

- aprendizagem: dificuldades de leitura, escrita, trocas de letras, dificuldades de atenção, concentração e hiperatividade.

- deglutição: qualquer dificuldade apresentada desde a mastigação à deglutição, como, presença de escape de alimento, dificuldades mastigatórias, engasgos, podendo causar pneumonias aspirativas ou até mesmo mudança de via de alimentação, com sonda e gastrostomia.

- amamentação: dificuldade de pega e fissuras em seio materno.

Espectro Autista

O conceito de espectro autismo caracteriza se por distúrbios globais do desenvolvimento, que apresentam se por dificuldades de interação social, dificuldades de comunicação verbal e não verbal, padrões restritos e repetitivos de comportamento.

Como é definido o Espectro Autístico?

É determinado pelo maior e menor grau de comprometimento, ou seja, que vai variar de paciente muito comprometido: que não falam, e menos comprometidas, diagnosticadas como síndrome de Asperger ou Autista de alto funcionamento: que falam, lêem e escrevem, entre outras características.

Características clínicas de criança com risco para TEA

De 6 a 8 meses

Não apresentam iniciativas em começar, provocar e sustentar interação com o adulto próximo (ex. ausência do olho no olho);

Não se interessam pelo prazer que provocam no outro;

Apresentam silenciamento das manifestações vocais, ausência do balbucio, principalmente em resposta do outro;

Ausência de movimentos antecipatórios em relação ao outro;

Não se viram em direção da fala a partir dos quatro primeiros meses de vida;

Não estranham quem não é da família, como se não notassem a diferença.

De 12 a 14 meses

Não respondem claramente quando chamados pelo nome;

Não demonstram atenção compartilhada;

Ausência do apontar, na intenção de mostrar algo a alguém;

Não há indícios das primeiras palavras ou são completamente inteligíveis;

Não imitam pequenos gestos ou brincadeiras;

Não se interessam em chamar a atenção das pessoas conhecidas e nem fazer gracinhas.

Por volta de 18 meses

Não se interessam por jogos de faz de conta;

Ausência de fala ou fala sem intenção comunicativa;

Desinteresse por outras crianças: preferem ficar sozinhas;

Caso tenham tido o desenvolvimento da fala e interação, podem começar a perder estas aquisições;

Podem ser observados comportamentos repetitivos e interesse restrito (ex. ventilador, roda de carrinhos, entre outros;);

Aumento de isolamento;

Fonte: Área Técnica de Saúde Mental, álcool e outras drogas /dapes/SAS/MS.

A Clínica Ceccato trabalha com o método de terapia ABA – Applied Behavior Analysis, fortemente baseada na teoria comportamental, utilizando controle do desenvolvimento do comportamento, inibindo comportamentos indesejáveis e instalando comportamentos adequados, inclusive a linguagem oral, com envolvimento familiar.

Natalia Nicoluche Lopes

Fonoaudióloga

CRFa 16818

O fonoaudiólogo tem o papel de

intervir junto aqueles que posicionam a língua ou engolem de forma inadequada, empurrando os dentes com a língua, contribuindo, assim, para o mau posicionamento dentário. Também pode atuar junto aos que respiram pela boca para que a respiração nasal possa ser facilitada.